o BLOG ONDE VOCÊ ENCONTRA AS MELHORES RESPOSTAS PARA AS FREQÜENTES DÚVIDAS SOBRE O SEU CORPO E SUA SAÚDE.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

8 MOTIVOS PARA VOCÊ BEBER MAIS ÁGUA


(Andrius Gross Ferreira - andriuspersonaltrainer@gmail.com)

Ela é sinônimo de vida – não é à toa que uma das grandes preocupações do momento é a preservação desse líquido cada dia mais precioso. Economizar água é palavra de ordem da nossa era. Só não vale para um caso: hidratar seu corpo.

           Para ajudá-la a manter a corpo e a saúde em dia, destacamos oito motivos que fazem da água uma das suas melhores amigas.

1 - Facilita a Digestão
A água ajuda na formação de enzimas (substâncias que facilitam as reações químicas no organismo) e também da saliva e do suco gástrico, que atuam na digestão.

2 - Combate o Inchaço
Sem uma hidratação adequada, o volume de sangue diminui. Assim, as vitaminas e os minerais que ele carrega demoram mais tempo para chegar às células e, conseqüentemente, na pele e nas extremidades como cabelo e unhas. Por outro lado, bem hidratada, sua pele fica bonita e seu cabelo e unhas fortes. Além disso, com uma boa irrigação, o organismo não retém sódio – responsável pelo inchaço.

3 - Reduz Infecções
Ao se manter hidratada, você assegura que seu corpo será bem nutrido pelo sangue. É ele também que transporta minerais, como o ferro – importante para fortalecer as defesas do organismo.

4 - Regula a Temperatura
Por meio da transpiração, a água evita que o organismo entre em colapso com alterações bruscas de temperatura e faz com que ele se adapte ao ambiente.

5 - Turbina a performance na malhação
O melhor desempenho em atividades físicas ocorre porque as fibras musculares “ficam azeitadas”, deslizando com mais facilidade, o que reduz o risco de cãibras e de contusões.

6 - Desintoxica e previne a celulite
Grande parte das toxinas é expulsa do nosso organismo por meio da urina e do suor. Por dia, eliminamos 1 litro e meio de urina e o equivalente a um copo de água na transpiração. Se não houver hidratação suficiente, esse processo – e a sua saúde! – fica comprometido. A água amolece as fezes, facilitando a eliminação delas. Todo esse conjunto, aliado à melhora na circulação sanguínea, acaba prevenindo o aparecimento de celulite.

7 - Ajuda a emagrecer
Isso acontece principalmente quando ela é consumida junto com fibras solúveis, encontradas, por exemplo, nas frutas e na aveia. Em contato com a água, as fibras incham como uma esponja e dão sensação de saciedade. A água também pode “enganar” temporariamente o estômago com sua presença, mas, como ela não sofre digestão e absorção, essa sensação passa rapidamente e a fome reaparece.

8 - Melhora a absorção dos nutrientes
Vale lembrar que é o sangue que carrega a glicose e outros nutrientes para as células, alimentando-as. E só uma hidratação adequada garante o volume ideal de sangue para transportar os nutrientes. Além disso, para serem absorvidos, eles precisam da água. É o caso das vitaminas C e do complexo B, que reforçam nossas defesas.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

MÚSICA NA ACADEMIA: MELHOR RENDIMENTO

Andrius Gross Ferreira (andriuspersonaltrainer@gmail.com)

Se você estiver ouvindo a música certa, seu desempenho na malhação pode aumentar em até 20%. Inspire-se em treinos musicados e dê volume a seus músculos.

O fundista etíope Haile Gebrselassie atribui sua lista de recordes mundiais nas corridas de longa distância ao hit dançante dos anos 90 Scatman (Ski BA Bop Ba Dop Bop). Acredite: há muito mais que um "fundo" de verdade nisso. Costas Karageorghis, psicólogo do esporte e vice-diretor de pesquisas da Universidade de Brunel, em Londres, há 20 anos vem pesquisando o poder da música na vida de atletas amadores e profissionais. Segundo o inglês, ao malhar ouvindo o som correto, você:
• melhora o humor, ganha motivação e reduz medos e cansaço;
• usa com mais eficiência a energia;
• apura concentração e foco;
• coloca-se mais rapidamente no que os cientistas chamam de "fluxo natural", em que as ações no treino parecem ocorrer automaticamente;
• eleva a performance em até 20%.
Para tanto, você precisa ser estratégico ao montar sua playlist. É fundamental haver um casamento perfeito entre a cadência da música (o número de batidas por minuto – bpm), o seu ritmo cardíaco e o tipo de treino. Ou seja, existe uma música adequada para quem está fazendo supino com a pulsação a 75% da FCM (Frequência Cardíaca Máxima, obtida pela conta: 220 – a idade).
Um exemplo que ilustra bem a peculiaridade dessa história: quando o atleta chega a 80% da FCM num plano de resistência, as batidas da música precisam subir consideravelmente, segundo Karageorghis. Essa é a zona de esforço em que o corpo atinge a barreira anaeróbica e o metabolismo muda a forma de produzir energia. "Nesse momento, crítico para o desempenho, o corpo procura por uma batida mais rápida para ganhar motivação", explica.
Karageorghis chegou a um consenso quanto ao número de batidas por minuto que uma música deve ter a fim de turbinar a malhação: mais de 100 e menos de 150. Qualquer coisa além não terá efeito – e pode até ser contraproducente. Mas, usando a ciência, o papo é outro. "Estudos comprovam que, com a música em sincronia com o treino, o corpo utiliza 7% menos oxigênio para atingir o mesmo resultado."
Outras variáveis relevantes nesse contexto são a melodia, a harmonia, a tonalidade e a mensagem da música. Dependendo da sua criação, você pode se dar melhor com dance music do que com heavy metal. Não há regra. "Os homens, em geral, são ativados pelo rock; as mulheres, pelo pop", diz o psicólogo.
Antes de você "soltar o som", uma ressalva. Se você treina sempre com esse estímulo, ele enfraquece. "Eu recomendaria uma rotina de dois treinos musicados, seguidos de um não musicado", finaliza.

CONTRATAR UM PERSONAL TRAINER: ÓTIMO INVESTIMENTO PESSOAL

Andrius Gross Ferreira (andriuspersonaltrainer@gmail.com)


Praticar exercícios físicos com um personal trainer é um belo investimento, já que diversas pesquisas comprovam que a prática regular de exercícios físicos, aliada a uma alimentação adequada, constituem fatores de prevenção e controle de diversas moléstias, além de auxiliar na promoção da saúde. 
Hoje em dia, todos nós buscamos a segurança e comodidade de um programa de exercícios físicos que visa as nossas necessidades específicas, e que seja adequado a nossa realidade.
Contratar os serviços de um personal trainer deixou de ser para poucos. Hoje ter um personal não é mais luxo ou status, mais sim uma necessidade que, dependendo dos objetivos definidos de cada pessoa, vale a pena devido ao seu comprovado êxito no treinamento personalizado.
As diferenças observadas nesse serviço são muitas, entre as quais podemos citar: número limitado de clientes por personal trainer, um único aluno por horário, atendimento para grupos especiais (diabetes, hipertensão, obesos e outros), avaliação física periódicas, reconhecimento do aluno (cliente pelo nome e não pelo número de matricula), o trabalho multidisciplinar com profissionais da área de saúde (médicos, nutricionistas, fisioterapeutas e psicólogas), flexibilidade nos horários e locais da prática dos exercícios, privacidade e exercícios diferenciados, bem de acordo com seu estilo de vida, objetivos, desejos e individualidade.
Tudo isto em uma única mensalidade que, apesar de ser mais cara que uma academia, clube ou associação, quando o comparamos com o custo beneficio, percebemos que o investimento vale à pena.

CONSEQÜÊNCIAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS MAL-FEITOS

Andrius Gross Ferreira (andriuspersonaltrainer@gmail.com)


Todas as pesquisas comprovam que a prática de exercícios físicos, aliada a uma alimentação adequada constituem fatores de prevenção e controle de diversas moléstias, além de auxiliar na promoção da saúde.

Mas para que isso aconteça, é necessário que haja uma infra-estrutura mínima, adequada, que possa oferecer ao cliente uma prática de exercícios diferenciados, seguros, bem de acordo com o seu estilo de vida, objetivos, desejos e individualidade.

Percebemos que a grande maioria de indivíduos que procuram uma academia apresenta quatro componentes que representam perigo de vida: hipertensão, colesterol elevado, sedentarismo e tabagismo. A causa pode estar associada ao estilo de vida. 
Ao matricular-se em uma academia, é de suma importância que o futuro cliente passe por uma entrevista e faça uma avaliação da aptidão física antes de iniciar qualquer tipo de atividade física. Esse procedimento irá auxiliar o profissional de Educação Física, no planejamento e na prescrição de exercícios adequados e específicos para cada aluno. Não é o que hoje costumamos observar, onde o aluno se inscreve na academia e sai fazendo todos os exercícios contidos no valor da mensalidade. Pensa talvez, que o simples fato de fazer tudo, de uma hora para outra irá contribuir para um processo mais rápido de perda de peso e de condicionamento físico. Isso é ilusão!


O resultado é que muitos alunos acabam desistindo e abandonando a prática de exercícios e a academia, devido a vários fatores como:

  1. Falta de atenção e alta rotatividade dos professores.
  2. Falta de profissionalismo do professor.
  3. Falta de manutenção e conservação dos equipamentos.
  4. Equipamentos de baixa qualidade.
  5. Fila para utilizar os equipamentos.
  6. Falta de variação dos exercícios.
  7. Horários disponíveis para determinadas modalidades
  8. Limpeza e higiene do local da prática.
  9. Ventilação.
  10. Condições do Vestiário .
  11. Preço. 
  12. Lesões. 

As lesões são causadas na maioria das vezes por falta de atenção ou ansiedade do praticante, histórico de saúde, como também pela baixa qualidade do serviço oferecido na academia.

Os problemas mais comuns encontradas nas academias são:

  • Desmaios súbitos - Para quem fuma, o monóxido de carbono liga-se à hemoglobina e impede que os músculos e o cérebro recebam oxigênio em quantidade suficiente durante o exercício, levando o individuo a desmaios súbitos.
  • Enfarte - Exercícios isométricos, onde se levanta muito peso em movimentos lentos e com a respiração suspensa, para indivíduos hipertensos devem ser evitados porque sobrecarrega o coração. Exercícios de alta intensidade numa esteira, por exemplo, para quem tem colesterol alto, também dever ser evitados. 
  • Dor nas costas - Muitos dos alunos desconhecem seus problemas posturais e com a prática de exercícios sem a correção e orientação adequada de um profissional de Educação Física, o posicionamento incorreto na hora da execução do exercício acaba levando a dores crônicas e acentuação desses desvios. 
  • Dor no joelho - Em geral é causado por falta de alongamento ou excesso de peso dos aparelhos utilizados.
  • Dor no ombro - Falta de alongamento, excesso de peso dos aparelhos utilizados e a posição de como dorme.
  • Sudorese e mal-estar - Causado por jejum excessivo, cansaço físico ou medicamentos sem prescrição médica.